Dinocart - Ecommerce System
  Inicío  »   Gaeiras
 Lojas / Serviços 

Gaeiras

Brasão
Gaeiras

População:  3 544 habitantes
Área:  10,20 km²
Densidade populacional:  182,2 hab/km²
Actividades económicas: Agricultura, vinicultura, fruticultura, comércio, serralharia civil, carpintaria, construção civil.
Padroeiro: Nossa Senhora da Ajuda.
Festas e Romarias: esta Nossa Senhora Ajuda , no segundo fim-de-semana de Setembro; Grande Exposição de Presépios das Gaeiras; Marchas Populares das Gaeiras.
Feiras:
Colectividades e Associações:
Associação "O Socorro Gaeirense"; Sociedade Filarmónica e Recreativa Gaeirense; Sociedade Cultural Recreativa Gaeirense; Clube de Caçadores e Pescadores de Gaeiras; Motor Clube de Gaeiras.
Património cultural e edificado: Cidade Romana de Eburobrittium e Igreja do Senhor da Pedra.
Gastronomia: Carneiro Assado, Bacalhau à Gaeiras, Matança do Porco, Vinho de Gaeiras, Lampreias de Ovos e Trouxas-de-Ovos.
Povoações:

 

O topónimo da freguesia pode ter duas origens distintas: uma lendária, outra etimológica. Esta última diz-nos que “Gaeiras” são lugares com grande abundância de gaios e pode derivar do latim “gaius” ou do germânico “gad-ilus”. Quanto à lenda, conta-nos que existindo no alto de uma colina um conjunto de casas brancas, cujas donas se dedicavam ao ofício de caiar, razão por que eram conhecidas por “Caeiras”. Certo dia, a Rainha Dona Leonor de Lencastre dirigia-se para a sua Quinta das Flores, reparou e ficou impressionada com aquelas casas, todas caiadas de branco e contratou aquelas mulheres para caiarem o Hospital Termal. No citado local da Quinta das Flores, na área da freguesia das Gaeiras, foi recentemente descoberta a Cidade Romana “Eburobrittium”.
É provável que o povoamento deste território se reporte à ocupação do povo romano, uma vez que se encontraram diversos vestígios arqueológicos de uma cidade romana perto do local onde hoje se encontra o Convento de S. Miguel.

 

Pouco se sabe da História de Gaeiras até ao século XV, altura em que o Infante D. Henrique, filho de D. Manuel I, fundou aqui o Convento de S. Miguel, que acolheu os Arrábidos da Ordem de S. Francisco. No entanto, este Convento foi considerado pouco sadio e foi edificado em novo mosteiro em 1603, adequado aos hábitos dos seus habitantes.
No século XVI, Gaeiras tornou-se muito conhecida e visitada pela sua nascente de água mineral, designada na época como “Caldas de Gayeiras”. Durante os séculos seguintes e ainda actualmente continua-se a registar a presença de banhistas nestas águas.
No decorrer do século XVIII, esta povoação acolheu muitas pessoas que aqui chegavam em busca de uma melhor qualidade de vida. Este aumento populacional estava associado à existência de diversos moinhos no local, que permitiam o fabrico de farinhas, na época uma actividade em desenvolvimento.

 

Actualmente, Gaeiras é uma das freguesias de Óbidos com maior desenvolvimento.


 
 

Loading
  Alcobaça   Torres Vedras   Peniche   Sobral   Mafra   Cadaval   Bombarral   Caldas da Rainha   Nazaré   Lourinhã   Batalha   Alenquer